Martagão inicia projeto que usa tecnologia inovadora para comunicação de pacientes

Nesta quarta-feira, 10, o Hospital Martagão Gesteira (HMG) deu início ao projeto Eu Sou Meu Porta-Voz: Tecnologia Assistiva, que dará maior independência, qualidade de vida e inclusão social a crianças e adolescentes com deficiência.

Financiado pelo Prêmio ao Valor Social 2017, da Deten Química e Fundación Cepsa, o projeto possibilitou a aquisição de um equipamento portátil, software e aplicativo que permitem a comunicação alternativa aos pacientes sem capacidade de comunicação verbal. Com o equipamento instalado no leito (até mesmo domiciliar), os pacientes usarão o movimento dos olhos para realizar atividades lúdicas e funções básicas que auxiliam a função verbal e a integração com equipe assistencial e familiares.

Equipe recebeu treinamento, nesta quarta-feira (10)

“Este equipamento será de grande importância para o serviço de reabilitação por ter uma proposta muito inovadora. Além disso, que será usado por equipes de diversas áreas do Hospital, como Oncologia, UTD, UTI e PAVD”, destaca Luciana Machado, coordenadora do Serviço de Reabilitação do HMG.

Nesta primeira etapa, profissionais do Martagão – entre fisioterapeutas, fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais – receberam treinamento para operação do Tobii. “Nós fazemos muitos estudos de casos, artigos científicos, tudo para ajudar os profissionais a reabilitar esses pacientes. A proposta é condicionar a resposta deles com atividades bem básicas”, disse Rafael Alves, Engenheiro de Sistemas da Civiam Tecnologia Assistiva.