Setembro Dourado: câncer infantojuvenil é tema de campanha do Martagão

No Setembro Dourado, mês de conscientização sobre o câncer infantojuvenil, o Hospital Martagão Gesteira lança a campanha O Detalhe É Precioso. Referência na oncologia pediátrica na Bahia, o Martagão alerta para os sintomas e a importância do diagnóstico precoce do câncer, maior causa de mortalidade por doença entre crianças e adolescentes de 1 a 18 anos no Brasil.

Os pais devem estar atentos a sintomas recorrentes como febre, vômito, dor nos ossos, emagrecimento, hematoma, perda de equilíbrio e dificuldade para caminhar. “Para fazer o diagnóstico precoce, a gente precisa lembrar que criança pode ter câncer sim, embora seja muito raro”, destaca Dra. Luciana Nunes, coordenadora da Oncologia do Hospital Martagão Gesteira.

Uma dor forte que começou na panturrilha e se espalhou por toda a perna foi o alerta no caso de Vitória, de 10 anos. “Não havia remédio que fizesse a dor passar. Íamos para a emergência e não sabiam o que era”, conta Viviane Dias, mãe da menina. O diagnóstico só veio depois de seis meses de sofrimento. “Foi um baque descobrir. Tivemos que deixar Ribeira do Pombal para buscar tratamento na capital“, acrescenta ela.

Referência em oncologia pediátrica
Por mês, o Hospital Martagão Gesteira atende cerca de 150 pacientes em tratamento oncológico. Anualmente, a unidade registra aproximadamente 120 novos casos da doença e recebe cerca de 1.500 pacientes em acompanhamento. Todo o tratamento é gratuito.

Além de profissionais especializados em oncologia pediátrica, o seriço do Martagão Gesteira conta com endocrinologista, ortopedista, neuropediatra, endocrinopediatra, neurocirurgião, cirurgião pediátrico e médico do transplante de medula. Prezando por um tratamento cada vez mais humanizado, os pacientes são acompanhados por equipe multidisciplinar composta de enfermeiros, farmacêuticos, assistentes sociais, psicólogos e pedagoga.

“Outra grande vantagem do Martagão é poder contar com o suporte de diversas áreas de um grande hospital, como UTI, bioimagem, laboratório, centro cirúrgico, fisioterapia, fonoaudiologia e voluntariado”, revela Luciana Nunes.