Pacientes do Martagão passeiam no Metrô de Salvador

Os olhares eram de expectativa. Parte das crianças iria andar pela primeira vez no Metrô de Salvador. Após as instruções das seguranças, os pequenos e pequenas mal podiam esperar. Quando o trem se aproximou, as palmas já demonstravam a animação. As portas se abriram e, dentro do vagão decorado, havia princesa, príncipe, urso, balões. Era o “Metrô encantado”, uma ação do Mês da Criança do Martagão, feito em parceria com a CCR Metrô Bahia.

As cerca de 15 crianças que participaram da ação saíram de sua rotina de internamento no Martagão para cantar e dançar ao som de músicas do repertório infantil. Acompanhados por pais e mães, eles foram da Estação Retiro até a Estação da Lapa, num passeio lúdico e animado.

O pequeno Lucas, de 8 anos, contava, com os olhinhos brilhando, que a alta dele estava programada para ocorrer justamente no Dia das Crianças. Após um mês de internamento, a promessa era de ganhar uma bicicleta ao chegar em casa.

Aniversariante do dia 10 de outubro – um dia antes do passeio no Metrô -, Klayton, 11 anos, disse que o melhor presente foi andar no modal pela primeira vez. Ele, que é do município de Luís Eduardo Magalhães, está internado há um mês.

Durante todo o percurso, ele não perdeu a alegria. Da Estação da Lapa, todo mundo voltou para o Acesso Norte, onde a criançada pode conhecer Bibliometrô. Lá, eles ganharam presentes e fizeram um delicioso lanche, junto a príncipes e princesas e personagens animados do desenho Marsha e o Urso. A felicidade de Vinícius, de 7 anos, estava estampada no rosto. “O Martagão Gesteira é uma festa todo dia”, disse.

A ação contou com a participação do ator Gabriel Tavares e de sua trupe que, fantasiados, levaram alegria para os participantes. “É uma satisfação muito grande poder fazer parte desta ação”, afirmou Tavares.

A coordenadora do serviço de Nutrição do Martagão e membro da comissão de humanização, Aline Ramalho, acompanhou o passeio e ressaltou a importância de ações como esta que, além de chamar a sociedade para a causa da Saúde da Criança e ajudar o Martagão a atender os mais de 80 mil pacientes por ano, servem como um poderoso auxílio no tratamento das crianças.

“Ações como esta retiram o paciente do ambiente hospitalar, que é algo que nós sabemos que tem impactos no emocional da criança e dos seus familiares. Eles passam por ansiedades do diagnóstico e tratamento, além da mudança de rotina e afastamento do convívio social devido à necessidade do internamento hospitalar. Nesse sentido, as atividades lúdicas proporcionam um espaço de alegria e renovação, o que estimula uma melhor adesão ao tratamento e minimiza estes impactos”, frisou Aline.

Até o dia 31 de outubro, a programação do Mês da Criança está recheada de ações e atividades culturais.