Medicamento de alto custo, Palivizumabe é disponibilizado no Martagão para casos específicos. Saiba como agendar

Está aberta a agenda da 6ª campanha do Palivizumabe, medicamento de alto custo que é disponibilizado, por meio do SUS, no Hospital Martagão Gesteira, em parceria com o Governo do Estado, para combater o vírus sincicial.

O medicamento somente é válido para duas situações específicas: crianças prematuras nascidas com idade gestacional menor ou igual a 28 semanas, e com idade inferior a um ano; ou crianças com idade inferior a dois anos, com displasia broncopulmonar ou doença congênita com repercussão hemodinâmica.

O Palivizumabe é recomendado para prevenção de infecção respiratória grave causada pelo vírus Sincicial, mais comuns em bebês com nascimento prematuro, bem como crianças com até 2 anos com doença pulmonar crônica da prematuridade ou doença cardíaca congênita com repercussão hemodinâmica.

Para ter acesso gratuitamente à medicação, é necessário ter a solicitação do médico através de um formulário especifico, junto com documentos de identificação da criança e responsável, cartão do SUS e termo de responsabilidade.

O período de entrega da documentação vai de 8 de fevereiro a 26 de julho, sempre às segundas-feiras, das 9h às 15h, na Farmácia da Oncologia. Já o agendamento e administração podem ser feitos entre 11 de fevereiro e 30 de julho, sempre às quintas-feiras para as primeiras doses. As doses subsequentes serão agendadas para as sextas-feiras, das 8h às 12h, no pronto atendimento.

Mais informações podem ser obtidas por meio do telefone (71) 3032-3803 ou pelo email farmaciaoncologia@martagaogesteira.org.br.

O Palivizumabe (medicamento) é uma imuniglobulina que apresenta atividade neutralizante e inibitória contra o vírus VSR. A recomendação é que a primeira dose seja administrada antes do período sazonal do vírus (que é variável no Brasil, porém, no Nordeste, vai de março a julho), ou seja, em fevereiro. O intervalo de administração de doses é de 30 em 30 dias durante o período sazonal. Já a quantidade de doses por criança varia de acordo com o mês que ela tomar a primeira dose.