Martagão Gesteira realiza Simpósio Multidisciplinar de Cardiopatia Congênitas

Em 12 de junho, quando é celebrado o Dia Nacional de Conscientização da Cardiopatia Congênita, o Hospital Martagão Gesteira realiza o Simpósio Multidisciplinar de Cardiopatia Congênitas: a importância de todos juntos pelos corações. Com o evento, o Martagão chama a atenção para as doenças do coração, que afetam 9 a cada 1.000 nascidos vivos e a importância de uma equipe multidisciplinar no tratamento e no acompanhamento dos pequenos pacientes portadores de anomalias estruturais (cardiopatias congênitas).

Desde 2010, o Martagão Gesteira vem se tornando referência na cardiopediatria, registrando crescimento de 1.400% no número de cirurgias cardíacas. No primeiro ano, foram feitos oito procedimentos cirúrgicos, enquanto em 2017 o Hospital realizou 120 cirurgias em pacientes no período neonatal até adolescentes.

Olímpio se recupera da segunda cirurgia cardíaca

“85% dos casos de cardiopatia congênita são cirúrgicos. E 25% dos pacientes precisam de intervenção ainda no primeiro ano de vida. O déficit de procedimentos cirúrgicos Norte e Nordeste do país é de 62%. Por isso, é extremamente importante o crescimento do nosso serviço em quantidade e em complexidade de cirurgias. Ano passado, por exemplo, realizamos nosso primeiro cateterismo cardíaco em criança”, explica Dra. Mila Simões, coordenadora do serviço de cardiopediatria do Martagão.

A especialista destaca a necessidade do diagnóstico precoce da cardiopatia congênita. “O seguimento médico precisa estar atento para realizar o ecocardiograma fetal durante a gestação e, logo após o nascimento, o teste do coraçãozinho. São direitos das mães e dos bebês. Elas também devem procurar o pediatra para uma melhor avaliação de sintomas como cansaço a mamada ou aos esforços, dificuldade de ganho de peso, cianose (extremidades e lábios roxos), infecções respiratórias de repetição”, enfatiza dra. Mila.

Tosse e dificuldade do filho em mamar, logo após o nascimento, foi o que fez com que Maria do Amparo de Jesus levasse o menino de 20 dias ao pediatra. Depois de exames, Olímpio foi diagnosticado com CIV, quando existe um orifício entre os dois ventrículos do coração. “Ele desmaiava, não conseguia sugar o peito, tinha muita dificuldade de viver. Fiquei desesperada com o diagnóstico, mas graças a Deus deu tudo certo”, conta a orientadora escolar, de 35 anos.

O menino foi submetido ao primeiro procedimento cirúrgico, no Martagão, aos 10 anos. “Aí minha vida mudou. Aprendi a jogar bola, pude correr, brincar na rua. Antes eu cansava por qualquer coisa”, diz Olímpio, hoje, com 14 anos, em processo de recuperação da segunda cirurgia.

Sopro no coração é outro sintoma da cardiopatia congênita que deve ser investigado por especialista. “Sopro é um som do coração que pode ocorrer com o funcionamento normal do coração e em situações transitórias, como febre. Nem todo mundo que tem sopro tem problema de coração, mas ele deve ser observado”, reitera Dra. Mila Simões.

O Hospital Martagão Gesteira realiza ecocardiograma em crianças de 0 a 14 anos e 11 meses. Os exames podem ser agendados por meio de nossa central de marcação (71 3041- 3800) ou nos postos de saúde. As vagas são disponibilizadas a partir do 1º dia útil de cada mês e no decorrer deste até que sejam esgotadas. É imprescindível guia de encaminhamento médico.

O Dia de Conscientização da Cardiopatia Congênita é comemorado em diversos países em 14 de fevereiro, Valentine’s Day. No Brasil, já foi adotado como lei em diversas cidades o dia 12 de junho como Dia de Conscientização da Cardiopatia Congênita, o nosso “dia dos corações”. O departamento de cardiopatias congênitas da Sociedade Brasileira de Cardiologia está incentivando ações e eventos em todo o Brasil para marcar o Dia de Conscientização da Cardiopatia Congênita.

A Associação de Assistência à Criança Cardiopata Pequenos Corações é uma das entidades que encabeça esta causa. Sem fins lucrativos, a Pequenos Corações presta assistência às crianças acometidas por cardiopatia congênita e aos familiares. de todo o país e lançou uma cartilha esclarecendo o tema.