Mães recebem treinamento sobre cuidados básicos com recém-nascidos; Confira dicas

Na semana em que é comemorado o Dia das Mães, o Hospital Martagão Gesteira está fervilhando de ações para celebrar nossas cuidadoras. Nesta quarta-feira (9), as mamães da UTI Neonatal participaram de um treinamento sobre os primeiros cuidados com os recém-nascidos. A enfermeira Ívina Baqueiro, da Gestar Consultoria, deu dicas em relação à amamentação, higiene e banho e tirou dúvidas das mamães e dos papais de primeira e de muitas viagens. Confira abaixo os destaques do encontro, promovido pela Comissão de Humanização do Martagão.

 

Ívina Baqueiro deu dicas preciosas a mamães e papais

Banho

  • Na hora do banho, primeiro é importante molhar a cabeça, proteger os ouvidos com os dedos para não entrar água.
  • Para limpar os olhos é necessário usar um algodão umedecido com água limpa, fazendo movimentos de dentro para fora.
  • Cuidado ao remover o creme de assaduras. Passe a mão levemente, se ainda assim ficar algum resíduo, deixe como proteção. Movimentos grosseiros podem causar irritações ou ferimentos.
  • Higienize o umbigo toda vez que realizar a troca de fraldas e der banho no bebê. É aconselhável usar álcool 70 com algodão e limpar sem preocupações já que o umbigo não dói.
  • A língua do bebê deve ser limpa todos os dias pelo menos uma vez ao dia, com o auxilio de uma gaze, já que a falta de limpeza correta da língua do bebê pode acumular fungos e causar o que geralmente chamamos de “sapinho”. O ideal é que a língua esteja sempre rosada.

Amamentação

  • Antes de colocar o bebê no peito, ordenhe os seios e massageie. Isso facilita o leite sair mais rápido, quando o bebê sugar.
  • Para ordenhar, coloque os dedos na base da aréola, faça uma pressão para trás, no sentido do coração, e depois solte.
  • No inicio, é normal que o leite não saia. Com o tempo e as tentativas, o leite vai saindo aos poucos.
  • É muito importante deixar o bebê confortável. Alinhe a ponta da orelha do bebê com o umbigo dele e o quadril.
  • Não aperte os seios na hora da amamentação, nem pressione as regiões próximas à aréola, pois isso pode prejudicar o fluxo de leite, fazendo com que o bebê se canse mais.
  • Quando o bebê faz movimentos de ondulações com a boca é o momento em que ele extrai a maior quantidade de leite.
  • Alguns truques podem deixar o bebê acordado e fazer com que ele mame mais rápido: faça cócegas nos pés, carinho na bochecha, tire as meias, luvas, lençóis e mantas.
  • Quando o bebê faz barulhinhos com a boca durante a amamentação, pode ser por conta de uma espécie de freio que ele tem na língua ou por causa da própria sucção. Se acontecer com frequência, é bom procurar um pediatra.
  • É comum que algumas mulheres tenham apojadura alguns dias após o nascimento do bebê. Nesta fase, os seios recebem um volume maior de leite, o peito fica dolorido, inchado, às vezes a mulher pode até ter febre. Compressas com água morna e massagens podem ajudar a aliviar a sensação de desconforto, além de ordenhar, tanto manualmente quanto com a bombinha.
  • Quando o bebê faz 6 meses, outros alimentos podem ser introduzidos na alimentação. No entanto, o leite materno deve continuar sendo dado.
  • Não tem idade ou época específica para parar de amamentar. Essa é uma decisão da mãe. Depois de 1 ano, a principal fonte de nutrição do bebê são os alimentos sólidos. O leite continua tendo propriedades boas, mas não é mais necessário.
  • Em casos de engasgos, existem técnicas para ajudar o bebê a não sufocar. Se for um engasgo simples, o ato de virar o bebê de costas já ajuda a desengasgar. Se não funcionar, é necessário virar o bebê, sentar na cadeira, cruzar as pernas e colocar o bebê com a cabeça inclinada para baixo. Com a palma da mão, dê cinco palmadinhas e depois desvire o bebê. Em caso de engasgos apenas com leite ou papinha essas manobras geralmente funcionam. Se o bebê continuar engasgado é necessário pressionar os dois dedos na linha dos mamilos, com bebê virado para cima e repetir o movimento por três vezes, depois virar o bebê para baixo novamente e dar os tapinhas. Se nenhuma das técnicas funcionar, procure ajuda de um profissional.
Mães e pais devidamente treinados