Em ato de solidariedade ao Hospital, baianos participam do McDia Feliz 2020

Nem mesmo a chuva que caiu ontem sobre Salvador impediu que baianos exercessem um ato de solidariedade em prol do Martagão Gesteira. Eles foram aos restaurantes Mc Donald’s e compraram o Big Mac. A venda do sanduíche será revertida para ajudar o Hospital. O recurso será destinado ao Serviço de Transplante de Medula Óssea (TMO), iniciado este ano pela instituição filantrópica.

As irmãs Juciane, 29, e Gislene Damasceno, 32, saíram de Madre de Deus e foram até um dos shoppings da capital. Lá, foram informadas por voluntários do Martagão sobre a campanha. “Eles explicaram para a gente como poderíamos ajudar e não tivemos dúvida. Ficamos felizes em poder fazer algo. Já acompanhamos a história do Martagão, que realiza um trabalho ótimo para as crianças”, disse Gislene.

Além da venda dos tíquetes antecipados – foram vendidos mais de 10 mil, a campanha incluiu a venda no balcão e delivery. Voluntária do Hospital há dois anos, a animadora Tusa Gomes, 32, se fantasiou para incentivar as pessoas a comprarem o Big Mac. No Mc Donald’s da avenida ACM, ela abordava quem entrava no local. “Eu me sinto bem em poder estar fazendo a minha parte. A gente sabe que estamos em pandemia. Por isso, nós protegemos para continuar ajudando o Martagão”, afirmou.

Ainda pela manhã, a dona de casa Rute Santos, 43, aproveitou para garantir o seu sanduíche e exercer a solidariedade. “Eu gostaria de poder ajudar mais, mas fico feliz por conseguir fazer algo em prol do hospital”, frisou.

Morador de Cosme de Farias, Jurandir Gomes, 57, contou que já ajudou o Martagão. “Já fiz doação de leites. Sempre que posso, ajudo”, destacou, enquanto aguardava na fila para trocar seu tíquete pelo sanduíche. “Cada um tem que fazer sua parte”, acrescentou.

Com o recurso, o Hospital poderá garantir que mais pacientes tenham acesso ao Transplante de Medula Óssea. Esse avanço da instituição permitirá que diversas crianças e seus familiares não tenham que sair do seu convívio social para se deslocar para outros estados, a fim de realizar o procedimento. A primeira paciente do TMO do Martagão recebeu alta, com bom estado de saúde, em outubro deste ano. Outras dez crianças já aguardam para fazer este tipo de transplante, que não era feito, pelo SUS na Bahia, em crianças abaixo de 14 anos.